Hoje, a equipe resolveu homenagear uma personagem obscura de Silent Hill original, lançado no fim da vida do PSOne. O game contava com uma atmosfera tensa e claustrofóbica que unida a um sentimento constante de estar sendo observado por alguém numa cidade vazia deixava o jogador apavorado. Foram horas caminhando pelas ruas daquela cidade abandonada, com lugares estranhos, sons que pareciam vir do inferno. Ao caminhar pelas ruas de Silent Hill, o jogador observava abismos, como se levassem ao mais profundo poço do planeta, coberto de neblina e envolto de mistério. No entanto, nem as escolas abandonadas, os cachorros sem pele ou as manifestações físicas de demônios nascidos do sofrimento de mentes perturbadas eram páreo para Dhália Gillespie.


Dhália era aquela personagem que aparecia para causar espanto e confundir a cabeça de Harry Mason, protagonista do game, que buscava sua filha. Ela era dona de um passado tenebroso, cheio de sacrifícios envolvendo a própria família. Dhália, para muitos, era a personificação da própria Silent Hill. Tinha um ar misterioso, um discurso profético de conjurações demoníacas e estava sempre sumindo deixando mais perguntas do que respostas ao longo da história.


O momento mais emblemático da sua jornada por Silent Hill foi o encontro com Harry na igreja, em que ela aparece como uma pessoa corrompida por algo que nem ela mesma compreendia. A cena em CG demonstrou todo ar profano dessa mulher, com imagens sacras ao seu redor causava certo sentimento de aversão à primeira vista, intencional é verdade. O encontro apoteótico deixa Harry atordoado assim como o jogador, que sente como se um caminhão tivesse passado por cima dele, tamanho o impacto que ela causou naquela cena. Os olhos arregalados, a voz trêmula, o indecifrável código de símbolos que apenas quem compreendeu o game em sua complexidade total pode entender.


Silent Hill tem mulheres fortes e importantes, como Cybill, Alessa e Lisa, mas Dhália rouba a cena por se mostrar alguém que iria a qualquer lugar, sob qualquer condição em nome da sua fé. Por mais condenáveis que tenham sido seus atos, ela se mantém como uma vilã icônica para a série uma boa personagem no conjunto da obra.

 

Baixe o Aplicativo aqui e receba as novidades da BGS antes de todo mundo.